6 de ago de 2013

Sucesso na produção de biomassa de microalgas

Nos últimos cultivos realizados em larga escala nos fotobiorreatores tubulares compactos desenvolvidos pelo NPDEAS obtivemos alta produção de biomassa de microalgas. Os cultivos foram realizados utilizando meio de cultivo alternativo formulado a partir de resíduos agroindustriais. O reator foi parcialmente inoculado (apenas 8 ramais) e durante o processo de aumento de escala de produção, parte do material foi processado. Vale ressaltar que, durante este cultivo, as microalgas experimentaram baixas temperaturas com congelamento do meio de cultivo. Contudo, não foi observado diminuição da produção de biomassa decorrente das condições ambientais adversas demonstrando a robustez do cultivo da Scenedesmus sp. em fotobiorreatores tubulares compactos.

As Figuras 1 - 3 mostram o aspecto de parte da biomassa recuperada após ser submetida aos processos acoplados de floculação e centrifugação. 
Figura 1 - Biomassa úmida de microalgas cultivada em Fotobiorreator

Figura 2 - Biomassa úmida de microalgas cultivada em Fotobiorreator

Figura 3 - Biomassa úmida de microalgas cultivada em Fotobiorreator

As próximas etapas para o processamento da biomassa serão: (i) secagem em estufa com fluxo de ar forçado, (ii) recuperação do óleo por extração a quente, (iii) caracterização do óleo e (iv) síntese do biodiesel.

O fotobiorreator continua produzindo biomassa de microalgas. Agora com 12 ramais que representa uma operação de 85% dos ramais disponíveis. 

Os trabalhos de cultivo e operações unitárias estão sendo desenvolvidos pelos alunos de Mestrado Bruno Miyawaki, Diêgo Corrêa e Nelson Selesu com apoio de alunos de iniciação científica da graduação e nível técnico.

O foco dos trabalhos do NPDEAS consiste no desenvolvimento de energia sustentável a partir da produção de microalgas em fotobiorreatores tubulares compactos. Nosso grupo de pesquisa conta com financiamento do CNPq, Nilko Metalurgia Ltda e PSA Peugeot Citroën.